Reportagem: cena peruana – pt. I

Histórico anos 80/90

por Martin do Explosión Cerebral Zine

 

 

 

 

Se nós vamos falar de uma cena musical, devemos retornar aos anos 70 com algumas bandas de rock n roll. Mas é no início dos anos 80 que a cena underground se tornou uma realidade.

Nos anos 80 nasceram as bandas punk, hardcore e metal. A banda punk mais importante dessa época foi o Leuzemia, uma das primeiras bandas. Outras bandas punks do período foram o Narcosis, Eutanasia (não só uma banda punk, mas também um grupo político com simpósios e outras ações), Exodo (punk rock ‘n’ roll – em 1989/90 eles se chamavam Combustible), Frente Negro, Conflicto Social, Sociedad Anónima, Los Indeseables, Delirios Krónicos, Sociedad de Mierda, Flema Rock, Pánico, Excomulgados, Eructo Maldonado, Kaos, Se Busca, Voz Propia, Zcuela Crrada, Exilio, Transparented, Radikales. Estes, no ano de 1985, nos melhores tempos da cena punk, gravaram uma demo entitulada “Demo of 13”, com as bandas punks mais agressivas.

Leuzemia

Leuzemia

No final dos anos 80 e começo dos 90, vários punks desapareceram ou simplesmente mudaram seu estilo musical e passaram a tocar música comercial. Mas também, no alvorecer dos anos 90, surgiram algumas bandas punks interessantes: TKCH, ANTI (ainda não sabemos se eles são punk ou punk metal, uma proposta interessante enquanto ideia e música), KRFG, Pateando Tu Cara, Descontrol, Komplot, Psicosis (depois passaram a tocar ska), Autonomía, Desastre Social, Los Rehenes, Klaustro, Mala Fe, Gritos de Juventud, Anministía Política entre outras. Mas agora a cena punk está morrendo. Realmente espero que a nossa cena mude para algo melhor.

Nós precisamos de mais rebeldes nas ruas.

 

A nossa cena hardcore teve mais ou menos a mesma história. Nos anos 80 tivemos uma grande banda chamada Autopsia (mais tarde chamada G-3). O G-3 gravou uma demo chamada “Un Nuevo Enemigo” e depois disso mudaram o seu estilo para thrash metal e lançaram uma demo com o nome “En Llamas”. Depois passaram a tocar uma mistura de grunge com metal!

Além dessa teve o Ataque Frontal, que gravou um EP pelo selo francês New Wave; Dr. Hardcore; Desarme; e no final dos anos 80 e nos anos 90 as mais conhecidas foram Reaxion, Mentiras Hermanas, Radio Criminal, Contracorriente, Fuerza Positiva, PDI, Enemigo Público, Sentido Común, Ellos Aun Viven, Autogobierno e mais nada!

A cena hardcore estava ruindo. Uma porção de bandas eram formadas por pessoas que tinham muito dinheiro e eles misturavam em seus shows bandas grunge, além de mudarem muito a sua ideologia.

Um dos problemas mais comuns na cena peruana é que as pessoas mudam de ideia e estilo muito rápido. Nos anos 80 surgiu uma porção de bandas tipo o Venom. Quando a Bay Area estavam no auge, todas as bandas soavam como thrashcore com uma pitada de death metal. Então apareceu a cena death metal sueca e todas as bandas estavam tocando um som na linha Entombed/Suffer.

Da mesma forma, quando aconteceram todos aqueles casos da cena norueguesa, aqui apareceu uma porção de garotos do black metal, dizendo que eles eram os mais cruéis poetas negros no mundo, fazendo pentagramas ou tentando matar uns aos outros (nunca aconteceu nada). Um monte dessas bandas existe somente por algum tempo e depois acaba, assim como as pessoas desaparecem da cena.

Mortem, Sepulcro e Insaner, 1988.

Mortem, Sepulcro e Insaner, 1988.

Entre as mais conhecidas bandas de metal estão Hastur, que lançou uma demo chamada “Satanic Nun” e depois disso se separou. Outra banda das antigas e agora a mais conhecida na Europa é o Mortem, que começou em 86 e depois de 4 demos gravaram o seu cd “Demon Tales” com o selo alemão Merciless Records. Hadez, que vem desde 86 até gravar seu cd “Aquelarre”. Depois disso terminaram e agora estão de volta. Sepulcro, uma das melhores bandas de power metal, depois de duas demos mudaram para um estilo mais intrincado e acabaram. O Kranium vem da mesma época e existe até hoje com a grande demo “Dos Sonrisas Una Lágrima”, de excelente produção.

E mais: Armageddon, grande banda de heavy metal dos anos 80; Orgus, banda mais na linha comercial do heavy metal; Massacre, uma das primeiras bandas de metal; Almas Inmortales; Jerusalem; Mortuorio; Penitencia, umas das melhores bandas de death metal aqui no Peru, na mesma linha do Sepultura (velho) e de todas as outras bandas brasileiras no estilo dos anos 80. Penitencia se separou em 88.

 

Nesta época nasceu um coletivo metal de jovens que se chamava “La Horda Metálica”. A ideia dessa associação era realizar mais shows e fazer uma ruptura entre punks e metaleiros. Sim, esse coletivo foi o iniciador de uma série de brigas entre os dois grupos. Depois de pouco tempo (não mais do que 2 anos) esta horda morreu, porque o líder de tudo era um cara que só via nisso um negócio (ele ainda vive na cena e diz que tira o seu sustento disso). Todos deixaram esse coletivo para procurar por outras coisas, mas não encontraram mais nada como aquilo. O único erro desta horda foi procurar um conflito entre punks e metaleiros.

Nos anos 90, tínhamos uma cena maior, mas com os mesmos problemas para realizar shows e distribuir material peruano, fanzines que não eram grandes coisas, pessoas que só queriam o seu material sem apoiar o seu trabalho ou a cena.

Nos tempos de violência fruto do estúpido terrorismo [terrorismo do governo], a única cena (por dizer alguma coisa) que tinha um forte ponto de vista foi a cena punk. Eles algumas vezes entraram em conflito com grupos de terroristas que estavam infiltrados na cena.

Por outro lado, a cena metal disse: ficar pensando nos problemas sociais é coisa de punk e do hardcore. Mas nesses anos, eu (Explosión Cerebral Zine) com outros editores (Termonuclear, Derrame Cerebral e Asco) formamos a Asociación de Fanzines Alternativos (AFA) para realizar alguns concertos e para publicar artigos em nosso zine para lutar contra o terrorismo e o fascismo do nosso governo, que nessa época queria controlar pessoas como nós como se fôssemos vacas com a desculpa de que eles queriam controlar o terrorismo.

Agora nós temos outra merda no governo, como o Fujimori, um homem que almeja estar no governo por todos os anos (já está a dez anos no poder).

As pessoas no Congresso precisaram de um referendum para dizer CHEGA à loucura. Como sempre, a cena metal não disse nada. Mas também, o que poderíamos fazer então se um monte de gente que estava comigo na AFA, já não pertencia a mais nada dentro da cena?

Nesse período apareceram um monte de bandas como Necropsia, Trauma, Estrella Negra, Coprofagia, INRI, Inextremis, Necrofucker, Spasm, Anal Vomit, Mortala, Neuroparalya, Opción, Diabólica, Aberración, Curriculum Mortis, Morbid Cadaver, Supplicium, Pandemonium, Astaroth, Puterfacto, Ritual, Post Mortal, Feretro, Fosa Común, Criminal Insane, Darken, Disinter, Dictadura de Conciencia, Atrofía Cerebral, Materia Orgánica, Sentencia, Esperpento, Estigma, Estallido, Insensibilidad Energética, Cadaver Incubator, Situación Hostil, SNA, Saram Scivit, Santuario, Blast, Psicorragia, Engorged Pussy, Anfo, Infernal, Lament Christ, Sarcoma, Impalement, Hecrophaga, En Las Espesas Nieblas, Golgota, Autodestrucción, Epilepsia, Elektrash, Audición Irritable, Requiem, Akrateia, Black Angel, Confusion entre outras.

Quanto aos zines da nossa cena, os mais importantes para mim foram Headbanger (zine death/black metal, realmente bom – 1985-88), Termonuclear (zine anarco com todos os estilos – 87-91) e Deathcross (só uma edição, mas que reinou na cena metal, se não me engano em 88). Depois desses zines nasceram muitos outros como Butchey, ProMurder, THCP, Under Metal, Esquina, Asco, Aberración, Grito de Protesta, Combatiendo, Yo Odio, Corrosión, Sarcasm, Suppurated Infection, Derrame Cerebral, Leviathan, Concientización Oportuna, Infernal Noise, Guttural Breath, Calvario, Hemorragia, Infected Voice, Mutilator, Black Slaughter e Ataque Metal.

Todos estão mortos e os únicos que eu posso chamar de verdadeiros são o Explosión Cerebral (desculpem, é o meu!), Temple of The Damned, Maleficarium, Testament, Cuero Negro (este zine é uma mistura entre tudo que vende e um pouco do underground – não é um bom zine) e… e nada mais. Lamento, mas nossa cena tem um monte de problemas financeiros, assim como a economia do nosso país. Os custos para se fazer um zine são tão altos que nós procuramos vários meios de fazê-los o mais barato que podemos. No ano de 1994-95, tivemos a visita de duas bandas: Immolation (um dos melhores shows já feitos) e Dismember (meia boca).

Hoje, algumas das bandas que estão na ativa são:

– EN LAS ESPESAS NIEBLAS: doom metal estilo ANATHEMA.

– LAMENT CHRIST: rara mistura entre doom e black metal; banda bem legal.

– BLACK ANGEL: black metal não muito profissional mas cruel.

– CADAVER INCUBATOR: grindnoise velho.

– ANAL VOMIT: death metal estilo CANNIBAL CORPSE.

– DISINTER: doom metal tipo BEYOND DAWN.

– KRANIUM: grande banda das antigas, na mesma linha dos seus antigos dias, mas mais profissional.

– MORTEM: devemos dizer algo novo sobre eles? Sempre uma banda oculta.

– ESTIGMA: Bandas que só existe para tocar no show business. Não acho uma banda boa.

– SARCOMA: Excelente death metal com vários toques sul-americanos.

Estas são as bandas mais importantes para mim e me parecem que estão trabalhando muito duro para ter o seu lugar na cena.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Nenhum comentário ainda.

Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • Agenda

    • outubro 2017
      S T Q Q S S D
      « out    
       1
      2345678
      9101112131415
      16171819202122
      23242526272829
      3031  
  • Pesquisar